Guia para visitar Yogyakarta, a cidade cultural da ilha de Java, na Indonésia

Borobudur-temple-Yokyakarta-Java-Indonesia

Yogyakarta é o berço da civilização na ilha de Java, na Indonésia, e o lar dos antigos reinos budistas e hindus, que deixaram na região templos que resistem até hoje, mesmo tendo passado por erupções vulcânicas, terremotos e abandono. Atualmente a cidade, que também faz parte da Província conhecida como Região Especial de Yogyakarta, é governada pelo Sultão, e é o único local na Indonésia que é regido por um monarca. Além disso, o destino desempenha um papel importante no cenário da cultura javanesa, sendo reconhecido pela produção de tecido em batik (técnica de tingimento em tecido), wayang (apresentação de fantoche) e outras artes indonésias.

Em Yogyakarta você se sentirá distante da cidade grande que deveria ser, pois o lugar ainda mantém o ritmo leve de cidade do interior, visto através dos prédios baixos e warungs (barracas) encontrados em cada esquina. Ademais, Yogyakarta tem o maior IDH da Indonésia e lá você sempre encontrará muitos jovens, que são atraídos para a Província pelas mais de 100 universidades da região, incluindo a mais famosa do país, local que o atual presidente, Joko Widodo, frequentou.

Este post vai te mostrar o que fazer em Yogyakarta, com um apanhado de atrações e informações práticas para visitar a cidade mais cultural da ilha de Java, na Indonésia.

Prabanam-Temple-Yogyakarta-Java-Indonesia

 

O que fazer em Yogyakarta – Borobudur

Um dos templos mais famosos de Yogyakarta e uma das atrações principais para quem visita a cidade, Borobudur é um templo budista do século IX que foi construído como um local para glorificar Buda e para peregrinação, guiando a humanidade do mundo do desejo até a iluminação, conforme os ensinamentos do Buda.

Borobudur tem três níveis que representam a cosmologia budista: o mundo do desejo, o mundo da forma, e o mundo sem forma, no qual a pessoa se torna iluminada. Peregrinos devem percorrer todos os níveis para replicar o caminho para a iluminação e, ao longo do caminho, é possível encontrar relevos retratando desejos humanos e a vida do Príncipe Sidarta, do seu nascimento até se tornar o Buda, e também as famosas estupas (as torres com formato de sino) que podem ter uma estátua do mestre budista com diferentes gestos de mão (conhecidos mudras) dentro.

O-que-fazer-em-Yogyakarta-Java-Indonesia-Borobudur-Temple

Borobudur atrai visitantes para assistir, principalmente, o nascer e o pôr do sol. De manhã, a neblina dá um aspecto místico à experiência, ainda mais vendo o sol se levantar na companhia dos vários Budas.

A entrada custa US$ 25 (aproximadamente 380 mil IDR) ou 450 mil IDR para o nascer do sol (este último é mais caro, pois é necessário passar pela propriedade privada de um hotel); e também pode ser comprada em conjunto com o ticket para visitar o templo Prambanan (US$ 40 – aproximadamente 600 mil IDR). O horário de funcionamento é das 6h às 17h, mas pessoas com ingresso para o nascer do sol podem entrar antes do horário operacional, às 4h30 da manhã.

No complexo você ainda encontrará restaurantes, passeios de elefante e barracas para comprar lembrancinhas.

O-que-fazer-em-Yogyakarta-Java-Indonesia-Borobudur-Temple

 

O que fazer em Yogyakarta – Prambanan

Também construído no século IX, Prambanan é um templo hindu dedicado ao deus Shiva. No complexo você encontrará vários outros templos, sendo o de Shiva o maior de todos, tendo os de Brahma e Vishnu como vizinhos; e outros menores, com alguns deles dedicados aos animais sagrados que transportam os deuses hindus (Nandi, Garuda e Hamsa).

A entrada custa US$ 25 (aproximadamente 380 mil IDR) e também pode ser comprada em conjunto com o ticket para visitar o templo Borobudur (US$ 40 – aproximadamente 600 mil IDR) – tenha sempre dinheiro em espécie com você, pois quando estivemos lá eles não estavam aceitando cartões. O horário de funcionamento é das 6h às 17h.

 

O que fazer em Yogyakarta – Candi Sewu

Candi Sewu é mais um templo budista e o segundo maior em Java Central (o primeiro é Borobudur). Ainda não muito explorado, é um lugar sem muitos turistas, no qual você pode caminhar pelas ruínas sossegado. Ao todo são mais de 240 templos, com um templo maior no meio e as ruínas do que anteriormente eram os outros templos menores. Apesar de ser uma construção budista, na arquitetura é possível encontrar influências hindus – um sinal de que as religiões coexistiam pacificamente.

Você pode visitá-lo após conhecer Prambanan, pois os mesmos ficam a uns 800 metros de distância um do outro (por estarem no mesmo complexo, o ticket permite ver os dois). Siga as placas e caminhe mais ou menos 15 minutos, ou pague um valor simbólico para usar os carrinhos de golf ou bicicletas disponíveis para os visitantes.

Candi-Sewu-Yogyakarta-Java-Indonesia

 

O que fazer em Yogyakarta – Candi Plaosan

Candi Plaosan é outro templo budista nas redondezas, situado a aproximadamente 1 quilômetro de distância do templo Prambanan. São aproximadamente 170 construções, dentre elas estupas (como as de Borobudur) e santuários, muitos com as estátuas do Buda.

Ao redor de Plaosan você verá plantações de arroz, e a melhor forma de conhecê-lo é combinar a ida com a visita ao Prambanan, em função da proximidade dos dois.

 

O que fazer em Yogyakarta – Keraton Ratu Boko

Ao vermos ruínas como Ratu Boko na Indonésia, é muito fácil achar que é mais templo hindu ou budista, mas na verdade o local era utilizado como palácio real para o antigo Reino Mataram, que foi responsável pela construção de diversos templos nos arredores, inclusive os citados acima. É um lugar diferente do que pode ser visto no país, já que lembra muito (guardadas as devidas proporções) as ruínas europeias, como o Foro Romano.

Ele está localizado a 3 quilômetros de distância do templo Prambanan, com vistas diretas para o mesmo, o vulcão Merapi e a cidade de Yogyakarta. Os principais pontos a serem vistos são os portais principais, com uma grande porta central e outras duas menores de cada lado, mas no complexo você ainda encontrará uma área que era utilizada para audiências públicas, o antigo palácio da princesa, uma piscina, uma caverna e um templo em miniatura.

Keraton-Ratu-Boko-Yogyakarta-Java-Indonesia

A entrada custa US$ 25 (aproximadamente 380 mil IDR) e pode ser comprada junto com o ticket para Prambanan (US$ 40 ou uns 600 mil IDR, incluindo o serviço de transfer entre os dois destinos).

 

O que fazer em Yogyakarta – Keraton / Sultan Palace

Um pedaço vivo de história e tradição em Yogyakarta, Keraton é o Palácio Real do Sultão e uma das atrações que você não pode deixar de conhecer na cidade. A construção foi iniciada nos anos 1 700 respeitando as crenças javanesas – o palácio está situado no centro da Província, com a mesma distância entre o Oceano Índico e o Monte Merapi, considerando a importância dos mesmos para a cultura.

Keraton-Yogykarta-Java-Indonesia

Atualmente o palácio continua sendo o lar do Sultão, que também é governador da Região Especial de Yogyakarta e, ao caminhar por lá, você poderá ver os Abdi Dalem, que são a corte da família real – esta nobre devoção é um orgulho honroso, que é transmitido de geração em geração.

No Keraton você também encontrará museus, como o que guarda as mobílias do último Sultão falecido, e também apresentações artísticas de música e dança. Nos fins de semana, é possível ver as apresentações de wayang (teatro de fantoche utilizado para contar diversas histórias, tendo a companhia do gamelan (orquestra de percussão indonésia que pode ter até 80 instrumentos tocando ao mesmo tempo).

Keraton abre a partir das 8h e o ticket pode ser comprado por 15 mil IDR. Antes de ir, verifique os horários dos eventos.

Keraton-Yogykarta-Java-Indonesia

 

O que fazer em Yogyakarta – Complexo Taman Sari

Taman Sari era o jardim real do Sultão de Yogyakarta que foi construído no século XVIII, possivelmente por um arquiteto português, como um lugar de descanso e meditação para o Sultão.

Lá você poderá encontrar o Water Castle, um complexo com três piscinas, onde em uma delas as concubinas do Sultão dançavam enquanto ele observava do topo da torre. Depois, ele jogava uma flor para uma delas pegar, e quem fosse rápida o suficiente se juntaria a ele em sua piscina particular.

O-que-fazer-em-Yogyakarta-Taman-Sari

Ainda dentro do Taman Sari, você poderá visitar a mesquita subterrânea Sumur Gumuling, com suas escadas e entradas que interessam os apaixonados por formas geométricas e simetria.

O Taman Sari funciona das 9h até as 15h e a entrada custa 15 mil IDR.

 

O que fazer em Yogyakarta – Situs Warungboto

Assim como Taman Sari, Situs Warungboto era um outro lugar de descanso para o Sultão e sua família. Ele foi construído com tijolos, sem ter um sequer traço de madeira na construção, e lá seria possível encontrar jardins e fontes d?água para a família relaxar.

Situs Warungboto não é uma atração muito popular, visto que terremotos acabaram deixando-o em ruínas, mas é um ótimo ponto para continuar a imersão na cultura de Yogyakarta, principalmente para quem quer buscar outras opções do que fazer na cidade. Além disso, a atração é um excelente lugar para fotografar, com suas cores e formas que são bem atrativas aos olhares fotográficos.

Entrada gratuita.

O-que-fazer-em-Yogyakarta

 

O que fazer em Yogyakarta – Jalan Malioboro

Um grande mercadão de rua, com suas barracas de comida indonésia, roupas e lojinhas de moda cheias de batik.  Você não pode deixar de visitar, nem que seja só par comprar batik para levar de volta como presente.

Taman-Sari-Yogyakarta-Java-Indonesia

blog_line-4845389

Sugestão de roteiro de 2 dias em Yogyakarta

Deixo aqui duas sugestões de roteiro para passar dois dias em Yogyakarta.

 

Roteiro Yogyakarta – Com nascer do sol em borobudur

Dia 1: vá até Taman Sari e Keraton na parte da manhã e reserve a tarde para conhecer Prambanan e os templos dos arredores (fique atendo aos horários, pois os mesmos fecham às 17h)

Dia 2: visite Borobudur durante o nascer do sol e, após conhecer todo o complexo, volte para o centro da cidade e faça uma parada na Jalan Malioboro. Caso queira, vá até Situs Warungboto antes do sol se pôr.

Roteiro Yogyakarta – Sem nascer do sol em Borobudur

Dia 1: vá até Taman Sari e Keraton na parte da manhã. À tarde, preferencialmente após almoçar na cidade, vá até Borobudur e conheça todo o templo com calma.

Dia 2: reserve a manhã inteira para conhecer Prambanan e os templos das imediações. À tarde, ao voltar para o centro, conheça Jalan Malioboro e, caso queira, siga até Situs Warungboto.

 

Como se deslocar em Yogyakarta

Você pode utilizar o aplicativo Grab para se locomover em Yogyakarta, até mesmo para visitar os pontos mais afastados do centro, como Borobudur e Prambanan. Há também a opção de alugar um carro com motorista (diárias entre 500 e 700 mil IDR).

Borobudur-Yokyakarta-Java-Indonesia

 

Onde comer em Yogyakarta

The House of Raminten

ViaVia

House of Sate

Temple of Gelato

Onde-comer-em-Yogyakarta

 

Onde se hospedar em Yogyakarta

Hyatt Regency Yogyakarta é a melhor opcão.

Clique aqui para ver uma seleção de hotéis em Yogyakarta.

blog_line-4845389

 Explore também outros destinos da Indonésia:

Monte Bromo: como é assistir o nascer do sol e explorar o Parque Nacional Bromo Tengger Semeru, na Indonésia

Como visitar Kawah Ijen, a cratera do vulcão de lavas azuis da Indonésia

7 programas imperdíveis para fazer em Malang, a cidade histórica da ilha de Java, na Indonésia

Roteiro explicadinho para passar 48 horas em Jacarta

Ei, você gostou do post? Então aproveite para salvar a imagem abaixo no Pinterest para achá-lo depois.

POSTS RELACIONADOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

elen-pradera

BEM-VINDO

Eu sou Elen e eu compartilho experiências de viagens - desde lugares para tomar um cafezinho até estadias em hotéis boutique. Estou aqui para te ajudar e orientar no planejamento das suas próximas férias.

kota-tua-jakarta-7546937

GUIA GRATUITO

Quer conhecer Jacarta, a capital da Indonésia? Então, garanta já o seu guia de viagem gratuito com os melhores pontos da cidade.

Destaques

Rolar para cima